Close

Batalhas Aéreas: Operação Wolfpack

Os pilotos americanos estavam passando por grandes dificuldades em 1967, dois anos após o início da intervenção militar americana no Vietnã do Norte: tinham diante de si uma poderosa rede de defesa antiaérea e com o grande aumento dos MiGs vietnamitas, causando diversas perdas e castigando incessamente as formações de bombardeiros americanas. Como as estranhas regras políticas do conflito não permitiam atacar as bases aéreas norte-vietnamitas, os pilotos de F-105 e F-100 da USAF ficavam dependentes das escoltas dos F-4, os quais os MiG’s evitavam atacar, forçando os F-105 e F-100 a largarem sua carga de bombas.

4 F-4C Phantom voando em formação.
4 F-4C Phantom voando em formação.

Cansados desta situação, a USAF decidiu que era hora de fazer alguma coisa contra os MiGs e para isso chamou o Coronel Robin Olds, piloto experiente da Segunda Guerra Mundial, onde obteve 12 vitórias na Europa. Olds assumiu o comando da 8ºTFW (Tactical Fighter Wing), equipada com o F-4 Phantom e baseada na Tailândia.

O plano era o seguinte: atrair os MiGs para uma batalha aérea e eliminá-los, para isso os F-4 se passariam por F-105 de bombardeiros de forma que enganasse os controladores de radar em terra, levando os MiGs para uma armadilha antes que percebessem o erro. O problema era que os MiGs vietnamitas evitavam o confronto direto com os F-4, mirando nos bombardeiros, atacando-os e forçando eles a largarem suas bombas.

EC-121, principal avião de alerta antecipado usado no começo da Guerra do Vietnã.
EC-121, principal avião de alerta antecipado usado no começo da Guerra do Vietnã.

Assim, na manhã do dia 2 de janeiro de 1967, Olds comandou 14 patrulhas de Phantom, 6 de F-105 e 4 de F-104, além de outros tipos de aviões para missões diversas e helicópteros para missões de resgate a postos. Os F-4 decolaram rumo ao Vietnã do Norte seguindo a rota dos F-105, voando na mesma altitude e velocidade e equipados com o casulo de ECM que os F-105 utilizavam, aparecendo assim aos controladores de radar norte-vietnamitas típicos bombardeiros.

MiG-21 preservado no museu da Força Aérea, em Hanói.
MiG-21 preservado no museu da Força Aérea, em Hanói.

A primeira leva de aviões formada por 12 Phantom rumam para a capital do Vietnã do Norte, Hanói, imediatamente um avião radar EC-121 alerta que os MiGs decolaram e estão indo em direção a formação. Os aviões de Olds se preparam para o combate e em poucos minutos derrubam um MiG, fazendo com que os demais assumam posições defensivas, mas já era tarde para evitar as perdas e 7 MiGs foram derrubados antes dos demais se retirarem da aérea. Neste momento a segunda leva de F-4 já chegava na região, mas nesse dia não houve mais confrontos e estava provado que era possível infligir perdas as forças aéreas norte-vietnamitas e Olds mostrou a maneira de vencer os MiGs, mas devido a uma decisão política em favor dos grandes bombardeiros, somente em 1972 a USAF conseguiria repetir o feito.

 

Imagens.: Acervo Pessoal do Editor.

Fontes.: www.wikipedia.org; Coleção Asas de Guerra.

 

Abraços e até o próximo post!

Bit Voador.

2 thoughts on “Batalhas Aéreas: Operação Wolfpack

  1. Não era “Operação Wolfpack”. Essa operação foi conhecida como “Operação Bolo”. “Wolfpack” era como era conhecido o esquadrão sob comando do Coronel Olds.

    1. Boa Noite Samuel,

      Você está certo, Wolfpack é o nome do 8 TFW, o esquadrão que Olds comandava, o nome foi utilizado como uma homenagem ao mesmo, que conseguiu mostrar que era possível infringir perdas ao Vietnã do Norte. Pena que por causa da política, precisou-se esperar anos para que a USAF pudesse enfrentar os caças norte-vietnamitas novamente.

      Abraços e continue conosco!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.